domingo, 29 de setembro de 2013

Os 5 melhores filmes de terror do YouTube

-->
YouTube contém muitos videos de humor e entretenimento, mas certamente você ja deve ter ouvido falar de algum vídeo de terror, macabro ou tenebroso que o YouTube contém. Nesse post irei mostrar alguns deles.


 Exorcismo de Annelise Michel: entre 1975 e 1976, a jovem alemã foi submetida a sessões de exorcismo muito intensas, pois acreditava-se estar possuída por legiões de demônios. A sua voz se transformava, ela falava em línguas que conscientemente não conhecia, parou de comer e faleceu em decorrência disso. Sua história deu origem ao filme "O Exorcismo de Emily Rose" e os áudios originais dos exorcismos vc pode conferir aqui:


Vozes do Inferno: Em 1989, um time de geólogos russos lançou um gravador dentro de um vulcão, a 14 mil metros de profundidade, a fim de registrar sons de placas tectônicas. Mas o que voltou gravado foi muito mais surpreendente e aterrador. Vc confere no vídeo.



Mark Twain: The Mysterious Stranger: era pra ser uma animação infantil, mas foi banido. Isso pq, em determinada parte, as crianças encontram com um anjo chamado Satan que tem uma voz amedrontadora e declara, de uma forma bem ilustrada e sinistra, seu desgosto pela humanidade. Dizem que tem mensagem subliminar, mas eu achei bem claro.



Shaye Saint John: com tantos equipamentos gravadores e plataformas de postagem online de vídeos, qualquer um pode se colocar na internet. Inclusive um doente mental que, de tanta obsessão por bonecos de ventriloquismo, ele mesmo se transformou em um. Este é Shaye Saint John. Os vídeos que ele cria são pertubadores, bizarros e amedrontadores. Só uma pergunta: Shaye, e a louça na pia?

Rubber Johnny: outro vídeos experimental de tirar noites de sono tranquilo. O diretor Chris Cunningham exibe um garoto com deformidade física sob um som bem tenso e intervenções psicodélicas. Não é legal, Cunninghan. Não é.

Curta nossa Página no Facebook.
Compartilhar no Facebook
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário